Ourives Ambulantes

OS OURIVES AMBULANTES DA FREGUESIA (um breve resumo)

Covões é terra de música … e é também terra de ourives.

Assim como as duas outras freguesias vizinhas (Febres e Vilamar), Covões teve também os seus ourives ambulantes.
Esta actividade, que foi pequena fonte de riqueza para Covões, está em vias de extinção pois a grande maioria dos descendentes dos que foram ourives mudou de ramo de actividade ou estabeleceu-se.
Tendo na época como alternativa uma agricultura no limiar da pobreza, muitos filhos de agricultores seduzidos por ourives amigos ou familiares que lhes « davam a mão », experimentavam fazer « a volta ». E lá íam eles, de fato vestidos e chapéu na cabeça, para várias zonas do país, carregando no suporte trazeiro da bicicleta a pequena « mala verde » feita em folha de flandres recheada de cartões (sendo estes geralmente de cor preto ou verde) com o ouro e a prata e complementando com relógios.
Regressavam então semanas mais tarde, se o negócio corresse bem, com algum cascalho (ouro velho proveniente de trocas…) e algum dinheiro no bolso.
O apogeu desta actividade situa-se nos anos 40-50, sobretudo no pós guerra.

Mala verde do ourives ambulante

A mala feita em folha de Flandres, pintada de verde, onde o ourives introduzia os cartões repletos de ouro e também alguma prata.

As malas geralmente tinham um pequeno compartimento para guardar a balança, a caneta, o pequeno bloco de apontamentos e contas, o pequeno alicate de bico e o canivete bem como uma pequena saca para meter o cascalho ou ainda relógios ou peças de ouro para consertar, que seriam entregues na « volta » seguinte.
(Fonte desta imagem: desconheço a proveniência desta imagem que me foi enviada por um amigo. Caso ela seja portadora de direitos autoriais ou você conheça o seu autor, agradecia que me informasse para lhe dar os devidos créditos ou, se necessário, retirá-la. Obrigado.
Webmaster