Nosso Padroeiro

SANTO ANTÓNIO DE LISBOA

PADROEIRO DA NOSSA FREGUESIA.  O protector dos pobres, o auxílio na busca de pessoas ou objectos perdidos, o amigo nas causas do coração. Assim é Santo Antônio de Pádua, frei franciscano português, que trocou o conforto de uma abastada família burguesa pela vida religiosa.

Santo António, padroeiro da paróquia de Covões

Santo António de Lisboa, também conhecido como Santo António de Pádua, nasceu em Lisboa no dia 15 de Agosto de 1195 com o nome de Fernando de Bulhões y Taveira de Azevedo. De família nobre e rica, eram seus pais senhor Martinho de Azevedo, Perfeito de Lisboa e dona Teresa, que pertencia à alta nobreza. O menino cresceu cercado de todos os cuidados: boa instrução moral, ciêntifica e religiosa e muito conforto.
Estudou na catedral os rudimentos e aos 15 anos de idade entrou, em São Vicente de Fora, no mosteiro dos cónegos regrantes de Santo Agostinho, onde fez o noviciado e mudou o seu nome para António. Aos 20 anos mudou-se para Coimbra e aí completou a sua formação em Santa Cruz e foi ordenado, tendo-lhe sido atribuido em seguida o cargo de Porteiro. Foi também em Santa Cruz que aprofundou os seus estudos teológico-filosóficos de raiz platónico-agostiniana adquirindo assim uma boa preparação, necessária para escever seus sermões.
A seguir à passagem em Coimbra das relíquias dos cinco mártires franciscanos mortos em Marrocos por tentarem evangelizar os infiéis, Santo António decide seguir-lhes os passos e ingressa na Ordem Franciscana nos Olivais (Coimbra) e obtem permissão para pregar em Marrocos. Segue para lá, porém, pouco tempo depois, problemas de saúde obrigam-no a retornar a Portugal mas, devido ao temporal, o barco onde segue é desviado para a Itália e aí permanece num eremitério.
Durante este tempo ocupou vários cargos, como o de professor na Itália e depois sul de França e pregando em lugares onde a heresia era mais forte, combatendo-a com milagres espantosos e seus sermões eloquentes, pois era dotado de enormes capacidades oratórias.
Em 1231, Santo António é acometido de doença inesperada vindo a falecer em Arcella – Pádua (Itália) no dia 13 de Junho, com sómente 36 anos de idade!
Santo António foi canonizado pelo papa Gregório IX em 30 de Maio de 1232.
Sobre seu túmulo, em Pádua, foi construída a basílica a ele dedicada.

Santo António é um santo de grande popularidade, principalmente nos países latinos, onde é invocado para encontrar objectos perdidos e para auxiliar moças solteiras a encontrar noivo.

linha azul separadora

Antigamente, na freguesia e arredores (e mesmo em terras mais distantes) este santo era invocado para curar os animais doentes, sobretudo gado porcino, sendo chamado por alguns « advogado do gadinho ». Tem origem aí os pés de porco tratados pelo sal que eram ofertados ao Santo António, no dia da sua festa, em cumprimento das promessas.

A imagem do nosso padroeiro Santo António é, como já citado, obra do célebre escultor João de Ruão (Jean de Rouen). Foi ele também o autor da outra imagem de santo António (que, ao que parece, ele fez só 2 imagens deste santo em Portugal) que existia na igreja de Santo António em Lisboa.

A Biografia de João do Ruão na Wikipedia

Poema (com música) a Santo António da autoria do amigo Euclides Cavaco