Pedro Teixeira, Amazónia

PEDRO TEIXEIRA, DESBRAVADOR E CONQUISTADOR DA AMAZÓNIA

Pedro Teixeira, conquistador da AmazóniaQUEM FOI PEDRO TEIXEIRA?… Pedro Teixeira nasceu na então vila de Cantanhede, situada a cerca de 20 km a Nordeste de Coimbra – Portugal, em 1587. Pouco se conhece sobre sua família e primeiros anos de vida. Sabe-se que desde criança foi muito forte, adquirindo na fase adulta uma compleição invejável que o tornou talhado para a vida agreste. Após a expulsão dos franceses do Maranhão em fins de 1615, o governo português determina o envio de uma expedição à foz do rio Amazonas, com vistas a consolidar sua posse sobre a região. A força expedicionária lusa foi constituída por três companhias. Como subalterno de uma delas, seguia o então alferes Pedro Teixeira. A 12 de Janeiro de 1616, a tropa entrou na Baía de Guajará. Desembarcou numa ponta de terra firme, onde desde logo foram iniciadas as obras de instalação e defesa. Em local bem seleccionado, foi erguido o Forte que tomou o nome de Presépio, origem da actual cidade de Belém. O destemido desbravador prossegue prestando inestimáveis serviços à coroa portuguesa. Combate holandeses e ingleses em muitas refregas, bem como realiza várias entradas de exploração dos sertões amazónicos. A maior de todas as suas façanhas teria início em Outubro de 1639. À frente de 2.500 pessoas, entre militares, índios e familiares, empreende viagem de exploração da calha do rio Amazonas, partindo de Belém. Empregando cerca de 50 grandes canoas, atinge Quito, no Equador, e regressa a Belém depois de haver percorrido mais de 10.000 km de rios e trilhas. Com esse feito – um dos maiores de nossa história – contribuiria para assegurar a posse de vasta porção da bacia amazónica por parte de Portugal. Como reconhecimento pelos seus 25 anos de profícuos serviços ao Rei de Portugal, Pedro Teixeira foi nomeado para o cargo de Capitão-Mor do Grão-Pará. Tomou posse em Fevereiro de 1640. Infelizmente, sua gestão foi curta, durando até Maio de 1641. A 4 de Julho desse ano faleceu na mesma Belém que auxiliou a fundar e consolidar. Mais de três séculos após sua morte, os empreendimentos de Pedro Teixeira ainda nos causam admiração. As lutas travadas contra os invasores estrangeiros e a exploração da bacia amazónica fizeram-no um dos maiores heróis da então Colónia no século XVII.
Fonte: Texto e Imagens encontrados na internet

Pedro TeixeiraPEDRO TEIXEIRA O HOMEM QUE SAIU DE CANTANHEDE PARA CONQUISTAR AMAZÓNIA!  Lisboa, 10 de Dezembro de 2009 (CSR/CMC/IMA/EL. – Lusa)
O militar e navegador português Pedro Teixeira é considerado o « conquistador da Amazónia », já que desbravou e tomou posse – durante o século XVII – de muitas terras para a Coroa Portuguesa no Brasil.
No entanto, esta personagem histórica continua pouco conhecida tanto no Brasil como em Portugal.
Pedro Teixeira nasceu em São Pedro de Cantanhede, Portugal, em 1570, e partiu para o Brasil em 1607, com 37 anos, notabilizando-se imediatamente na luta contra os invasores, principalmente ingleses e holandeses, naquele território da Coroa Portuguesa.
Em 1614, ainda como alferes, lutou contra os franceses na Batalha de Guaxenduba e, no ano posterior, participou numa expedição pela floresta virgem.
O explorador português fundou o município de Belém do Pará, em 1616, juntamente com Francisco Caldeira Castelo Branco.
Durante o domínio da Coroa Espanhola (1580-1640) sobre Portugal, os portugueses continuavam a desbravar e avançar sobre os territórios que, segundo o Tratado de Tordesilhas, pertenciam aos espanhóis.
O território do Brasil que pertencia a Portugal, designado por aquele tratado, era muito inferior ao que posteriormente os portugueses conquistaram durante os séculos XVII e XVIII aos espanhóis.
Em Outubro de 1637, Pedro Teixeira foi escolhido como chefe da expedição que concretizaria, dois anos depois, o ambicioso plano de conquistar o Alto Amazonas, à frente de 2500 homens, em cerca de 50 canoas.
Além da grande experiência na área militar, Pedro Teixeira possuia também muitos conhecimentos geográficos e uma política para as populações indígenas.
A expedição contou com a ajuda de mais de mil índios que chamavam a Pedro Teixeira « Curiuá-atu » (« Homem Branco Bom »).
O regresso a Belém deu-se a 12 de Dezembro de 1639, após uma viagem de mais de 10 mil quilómetros, que resultou na anexação de 4,8 milhões de quilómetros quadrados para a Coroa de Portugal.
Em Fevereiro de 1640, Pedro Teixeira foi nomeado para o cargo de capitão-mor do Grão-Parã, mas morreu no ano seguinte, em Belém.
O Senado brasileiro homenageou hoje em sessão especial o militar e navegador português Pedro Teixeira, um dos principais vultos da História de Portugal e Brasil e, ao longo de quatro séculos, um herói desconhecido.
A iniciativa foi do senador Aloísio Mercadante e o objectivo é resgatar a memória de Pedro Teixeira, incluindo-a no Livro dos Heróis da Pátria, no Panteão da Pátria e da Liberdade Tancredo Neves.
Fonte: texto extraído do facebook e colocado por Dra Helena Teodósio

A EXPANSÃO DA SOBERANIA PORTUGUESA.  No século XVII a região amazónica era palco de disputa pelas potências europeias, como Castela, França, Holanda e Inglaterra. O governador do Estado do Grão-Pará e Maranhão, Jácome Raimundo de Noronha, em Outubro de 1636, no período em que os portugueses se encontravam sob o jugo castelhano (Coroa Ibérica – 1580/1640), idealizou a expansão da soberania portuguesa na bacia amazónica antevendo que o período da restauração se avizinhava. Para concretizar o audacioso empreendimento, nomeou Pedro Teixeira para a chefia da expedição, com o propósito de estender os domínios de Portugal até às terras peruanas fundando povoados que marcassem o limite das terras da Coroa Portuguesa no Amazonas. O motivo para a escolha de Pedro Teixeira, além de suas qualidades militares, era seu profundo conhecimento da região e a política que implementava em relação aos indígenas.

 VIDEO SOBRE : EXPEDIÇÃO REFAZ CAMINHO DO PORTUGUÊS QUE DESBRAVOU A AMAZÓNIA
Fonte deste vídeo: Portal do concelho de Cantanhede, by Lumman – site visitado em 13-11-2014