Projecto Pedagógico – Recursos

PROJECTO PEDAGÓGICO DA PRODECO – OS RECURSOS

RECURSOS EXISTENTES. RECURSOS HUMANOS

CRECHE
Como recursos humanos temos: 2 Educadora de Infância, 1 TSSS, , 5 auxiliares de educação, 1 motorista, 1 cozinheira e 5 auxiliares de cozinha, outras crianças, pais, pessoas da comunidade e autarquia e outros profissionais de educação.

JARDIM DE INFÂNCIA
Como recursos humanos temos: 1 Educadoras de Infância, 1 Educadora dos Apoios Educativos, 1 TSSS, 2 auxiliares, 1 motorista, 1 cozinheira e 5 auxiliares de cozinha, outras crianças, pais, pessoas da comunidade e autarquia e outros profissionais de educação.

RECURSOS MATERIAIS
Mobiliário das salas e diferentes materiais didácticos.  Salão da Casa do Povo.  Pavilhão Gimnodesportivo de Covões.  Auditório da Casa da Musica

RECURSOS NECESSÁRIOS
Autocarro da Instituição. Autocarro da Câmara.  Biblioteca Municipal de Cantanhede.  Biblioteca de Covões.  ARCO- Associação Recreativa e Cultural dos Covões.  Junta de freguesia de Covões.  Banda Filarmónica de Covões

ORGANIZAÇÃO DOS RECURSOS (GRUPOS, ESPAÇO, TEMPO)
 » A educação pré-escolar é um contexto de socialização em que muitas aprendizagens decorrem de vivências relacionadas com o alargamento do meio familiar de cada criança, de experiências relacionais e de ocasiões de aprendizagem que implicam recursos humanos e materiais diversos. Este processo educativo desenvolve-se em tempos que lhe são destinados e, em geral, em espaços próprios. » In Orientações Curriculares
Daí surge a grande necessidade de organizar todos estes recursos de forma a facilitar o trabalho do educador, e consequentemente as aprendizagens das crianças.

( A ) ORGANIZAÇÃO DO GRUPO
A base do processo educativo no pré-escolar, é a interacção social e a relação entre adultos e crianças. A relação que o educador estabelece com cada criança facilita a sua inserção no grupo e as relações com as outras crianças. Para tal, deve ser criado um ambiente de segurança afectiva, em que cada criança se sinta valorizada. A organização do grupo pressupõe diversos factores que influenciam o seu funcionamento, tais como o número de crianças, as características individuais, a diversidade de idades e o sexo das crianças.

COMPOSIÇÃO ETÁRIA
Neste caso depende dos critérios de admissão estabelecidos pela instituição, e das características demográficas da população, assim como das condições da sala.
Crianças em Diferentes Momentos de Desenvolvimento
Crianças que interagem em diferentes momentos de desenvolvimento têm a aprendizagem e o desenvolvimento facilitados, porque o trabalho entre pares e em pequenos grupos permitem a confrontação dos seus pontos de vista, e a colaboração na resolução de problemas ou dificuldades colocadas por uma tarefa comum.
Aprendizagem na Vida Democrática
Esta aprendizagem implica que o educador proporcione condições para a formação do grupo, criando situações diversificadas de conhecimento, atenção e respeito pelo outro. Neste caso, vamos auxiliar-nos de instrumentos que facilitem a organização e tomada de consciência de pertença a um grupo, como quadros de presença, de aniversários, de tarefas, de localização e participação nas actividades. Além disso, as crianças participarão activamente na tomada de decisões e terão responsabilidade na distribuição de tarefas necessárias à dinâmica do grupo.
Terão também outras responsabilidades, como elaboração de regras e normas, participação na resolução de situações de conflitos, marcação e verificação de presenças. Também faz parte da dinâmica do grupo, a participação das crianças no planeamento e avaliação das actividades, que se traduz por prever o que se vai fazer, tomar consciência do que foi feito e avaliar os resultados.

( B ) ORGANIZAÇÃO DO ESPAÇO
A organização do espaço de que dispomos está relacionada com o equipamento, com os materiais existentes e com a forma como estão dispostos o que influencia directamente a intervenção das crianças, nomeadamente o que podem fazer e aprender. Todos os materiais têm finalidades educativas, e condicionam a dinâmica do grupo. A organização espacial e dos materiais, vai ser progressivamente modificada de acordo com as necessidades e evolução do grupo. De uma forma muito geral, o espaço será organizado de modo a promover a alegria, promover o gosto pela escola e potenciar o desenvolvimento das crianças.
Tendo duas salas disponíveis, a sua organização tem em conta aspectos como: o ambiente de aprendizagem, as necessidades das crianças. A educadora em funções optou pelo « Modelo Experiêncial « como linha orientadora da sua acção.
Desta forma a sala de actividades com 46 m² com capacidade para 23 crianças, onde se encontram as diferentes áreas de trabalho ou lazer. A sala mais pequena funciona simultaneamente como sala de recepção de dormitório.
Este processo, para além de proporcionar uma dinâmica diferente e aparentemente mais agradável tanto para os grupos como para o pessoal docente e não docente, traz a nosso ver outras vantagens, tais como:
- aprender a respeitar o parceiro e os seus trabalhos;
- respeitar o espaço e mantê-lo arrumado e agradável;
- favorecer o desenvolvimento da autonomia da criança;
- poder usufruir de todos os espaços e materiais didácticos;
- favorecer o acompanhamento individualizado;
- poder investir mais na qualidade e não na quantidade.

Espaço de Encontro
Será a área do tapete e a mesa grande. É o local de reunião, onde se vai organizar a rotina diária, algumas actividades de grande ou pequeno grupo, conversar, cantar, contar histórias, dividir tarefas, planificar e reflectir sobre o grupo.
A sala está organizada em cantos que irão surgindo ao longo do ano e que estão relacionados com o interesse das crianças. Estes estão relacionados com:
-  O Faz de Conta
-  Casinha das bonecas, garagem, médico, o cabeleireiro, a pista de automóveis.
-  As Expressões
-  Desenho, colagem, pintura, modelagem, recorte, carimbagem, etc.

As Construções:   Legos, roldanas, material de desperdício (tábuas, caixas, rolos) e outros jogos de encaixe.

Os Jogos :   Blocos lógicos, dominós, jogos de identificação, puzzles, jogos de memória, etc

As Descobertas:   Materiais que permitam à criança explorarem e descobrir o porquê das coisas através de experiências: lupa, utensílios para encher ou esvaziar, água, microscópio, plantas, etc

A Biblioteca :  Contos infantis, enciclopédias, revistas, fantoches e um fantocheiro

Espaço Exterior:   Material de psicomotricidade, canto de areia, espaço verde.

( C ) ORGANIZAÇÃO DO TEMPO
O tempo educativo tem, em geral, uma distribuição flexível, embora corresponda a momentos que se repetem com uma certa periodicidade.
Rotinas:
Intencionalmente planificadas. Momentos que a criança reconhece em que sabem o que podem fazer e prever a sua sucessão, mas com liberdade suficiente para operar modificações.
Referências Temporais:
Servem como fundamento para a compreensão do tempo.
Noções de passado, presente, futuro, contexto diário, semanal, mensal, anual.

6.1 – OBJECTIVOS GERAIS DE CRECHE
- Estabelecer parceria forte com a família de forma a ter informações sobra a criança, com vista á planificação do trabalho tendo em consideração o superior interesse da criança;
- Proporcionar o desenvolvimento do sentimento de inclusão, através do respeito mútuo e de relações afectivas calorosas e recíprocas entre a criança e o adulto responsável;
- Compreender a forma como cada criança aprende, promovendo um ambiente que facilita a brincadeira, a interacção, a exploração, a criatividade e a resolução de problemas por parte da criança;
- Proporcionar ao máximo o desenvolvimento das competências e capacidades de cada um.
- Pensar na criança como um aprendiz efectivo e activo, que gosta de aprender;
- Criar um ambiente flexível e responsivo que possa ser adaptado aos interesses e necessidades de cada criança, promovendo o acesso a um leque de oportunidade oportunidades de escolhas e que lhe permita crescer confiante e com iniciativa;
- Estabelecer uma rotina diária consistente que reforce e valorize a continuidade , de forma a que a criança desenvolva um sentimento de pertença a um ambiente que podem prever no seu quotidiano;
- Dinamizar oportunidades para que a criança possa comunicar os seus sentimentos e pensamentos.
Assim sendo os objectivos da valência de creche visam:
« Proporcionar o bem estar e desenvolvimento das crianças dos 3 meses aos 3 anos, num clima de segurança afectiva e física, durante o afastamento parcial do seu meio familiar, através de um atendimento individualizado e de colaboração estreita com a família numa partilha de cuidados e responsabilidades em todo o processo evolutivo das crianças. »

In, Gestão da qualidade das respostas sociais Creche, 2005