O engenho gandarês

O ENGENHO GANDARÊS

agricultura-tirar-agua-engenhoAspectos da Gândara antiga: o poço de engenho.
O engenho era suspenso em vigas e composto por: roda de alcatruzes, roda de tração diferencial, eixo da transmissão com charneira e cambão em madeira, para tração animal.
Ainda os há na região, abandonados.
Neto Domingos

O engenho gandarês é uma máquina sofisticada, distinta e bem adaptada aos nossos poços agrícolas, feita por mestres ferreiros.
Com um furo no fundo de cada alcatruz, com um andamento certo da vaca, a quantidade de água vazada na caleira era constante, apesar de ir diminuindo o caudal com o abaixamento da água no poço. Daí o engenho usado na Gândara ser distinto de outros nas relações de transmissão e capacidade de elevação.
O alcatruz ao entrar na água, tipo balde invertido, terá que ter uma saída de ar, pois o alcatruz antes de estar cheio de água, antes de se afundar, está cheio de ar. Isto é o o primeiro ponto importante para o « repuxo » do alcatruz. O furo era calibrado em função de várias variáveis: profundidade do poço, capacidade unitária do alcatruz, diâmetro da roda de alcartuzes, tamanho (diâmetro) do poço.
Manuel Ribeiro

A água que vazava do fundo de cada alcatruz, enchia ou compensava o alcatruz seguinte, que assim iria cheio até cima. No fim, íam vazando todos, de cima para baixo, até ficarem todos vazios e sem peso .

O furo poderá ter um efeito redutor ao esforço do animal por constante despejo de volume ascendente e consequente movimento de água contrariando a força/peso da gravidade.
Neto Domingos

Fonte: Textos (comentários) extraídos do Facebook, alguns ligeiramente modificados, da autoria (sobretudo) de: Neto Domingos e Manuel Ribeiro. A imagem é da Associação Recreativa e Cultural do Seixo e foi também extraída do Facebook.