Foral a Covões

FORAL A COVÕES E SIADOURO EM 1338 POR D. AFONSO IV

Em 23 de Dezembro de 1338, por D. Afonso IV, foi feito novo aforamento (existia já um, ou mais, mais antigo) – da herdade de Seadouro e Covões a Vicente Domingues e a Estevão Domingues.

O que é novo é a ideia de que o Seadouro e Covões seriam uma herdade, teriam portanto um Senhor, ou Fidalgo, algo que em Covões sempre foi posto em causa.


No reinado de D. Dinis vemos referências a povoações dentro do termo de Cantanhede. São elas:
- aforamento do Vale do Bispo a João Joanes Baso e outros em 1306
- aforamento de Arrancada a João Joanes Beiçudo e outros, a 25 de Novembro de 1311
- aforamento da Póvoa da Lomba e seus moradores em 3 de Fevereiro de 1302
Com D. Afonso IV são feitos novos aforamentos na herdade do Arneiro do Ramiro a Afonso Annes e outros, a 23 de Dezembro de 1330
- herdade de Siadouro e Covões a Vicente Domingues e outros e Estevão Domingues, a 23 de Dezembro de 1338
- herdade em Vale da Pedra a Francisco Domingues e sua mulher, em 23 de Dezembro de 1338
- aforamento do Monte Espinheiro a João Domingues em 10 de Outubro de 1341 e Póvoa do Bispo a João Anne,s a 9 de Outubro de 1341.
Outro aspecto curioso vê-se no documento de 1231, na venda de uma herdade ao Mosteiro do Lorvão em Cepiis , termo de Coimbra. No século XIII, Sepins ficava no termo de Coimbra ao qual ainda pertencia em 1527, juntamente com o Bolho, Murtede, Vila Nova de Outil, Cordinhã e Outil.
Por outro lado Ourentã ficava no termo de Cantanhede segundo as inquirições de D. Afonso II e depois as de D. Afonso III.
Pelo lado da Pena veio a confinar com o termo de Ançã a quem aquela povoação pertencia , a partir de 1371.
No reinado de D. Afonso IV aparece o juiz de Cantanhede, mas igualmente um juiz de Mira, juiz da Póvoa e juiz de Cadima.
O documento de 1342, do reinado de D. Afonso IV, dá-nos importantes informações sobre a posse de algumas terras de Cantanhede e Mira, definindo aquele reguengo

Extraido do livro GÂNDARA ANTIGA , p. 337 . Da autoria do prof. dr. João Reigota “A Gândara antiga” – 2000 – Centro de Estudos do Mar CEMAR
(Obrigado ao amigo Júlio Santos que me enviou estas informações)


DOCUMENTOS (MANUSCRITOS) ANTIGOS SOBRE COVÕES:  http://digitarq.dgarq.gov.pt/viewer?id=4239818/