Termas em Montouro

TERMAS PROJECTADAS PARA MONTOURO - COVÕES

Nascente de água mineralizada em MontouroNascente de água mineralizada. Termas projectadas para o lugar de Montouro, concessionadas várias vezes mas todas elas abortadas.

Em 1906, Charles Lepierre procedeu à análise química das águas mineralizadas do Montouro, classificando-as como cloretada mista.
Em 1923 a nascente foi concessionada (Diário do Governo nº 104, II série). Esta concessão foi declarada abandonada em 1936 (Diário do Governo nº 26, II série).
Em 1943 foi de novo concessionada (Diário do Governo nº 197, III série).
Dos estudos geológicos, em 1943, foi encarregado o Engº Luís Menezes Acciaiuoli, conforme publicação efectuada na “Hidrologia Portuguesa 1943-46”, publicada em 1947.
Por motivos desconhecidos os trabalhos de captação e de construção do estabelecimento hidrotermal não tiveram êxito. De acordo com alguns testemunhos de idosos locais foi efectuada a abertura de um novo poço, com cerca de 8 metros de profundidade, mas as paredes argilosas não permitiram a sua manutenção. Outros afirmam que a prospecção encalhou nos interesses das Termas da Curia.
Fosse esse ou outro motivo o final da concessão não foi feliz.
Actualmente a água emerge num poço com cerca de 4 ou 5 metros de profundidade. A água não se apresenta limpa, pois já há muitos anos que o poço não é usado.
No entanto o interesse científico mantém-se, tendo sido efectuados alguns trabalhos de campo pela Universidade de Coimbra em 2007.
Fonte: imagem e informação extraídas do Facebook – Grupo Freguesia de Covões –  e colocadas por Manuel A. S. Ruivo